Estrela de vestido listrado.

22 dez 2017roh_edu 104

Andei por becos e vielas, sempre perdido ou mal acompanhado, nas madrugadas silenciosas me permitia ser o eu amargo, problemático, complicado…
Tu que me pedistes para que não a amaste, lhe digo pra que de mim não fuja, pois teu afeto me mudaste.
Será o efeito de seu olhar sereno sobre o meu? Ou o desejo de despoja-la de corpo e alma que me deixam tão envolvido com esse meu lado bom?
Escute-me quando falo que não sou bom moço, pois não sou, e nem viria a ser por completo eu sei.
Diga-me que de tudo o que sente por mim o amor é o que mais evolui; diga que continuará a evoluir.
Vista-se de nudez quando eu te mostrar o pior e o melhor em mim.
Não mesnospréze qualquer carinho que seja.
Cuide mim pois você bem sabe que preciso de cuidados.
Tenha fé em mim, acredite no que me tornei e no que ainda vou me tornar.
Não deixe de brilhar em mim, assim meu brilho em ti mesmo que meio ofuscado nunca se apagará.
Quando formos sair passe pouco batom pra que quando a gente se beijar eu não fique muito marcado, esqueça as regras e aquelas cortesias sociais que quase sempre somos obrigados a fazer pra manter as aparências pra quem gosta de nos julgar, porque você vai estar comigo e eu não preciso disso.

PS: Use seu vestido listrado.

Sobre o autor

Incógnita, filho de zumbi, contradição ambulante, anjo torto.